sexta-feira, 31 de maio de 2013

Conte Aqui Seus Problemas [4]

Foi um feriado frio. O céu era cinza e o clima, propício aos cobertores, moletons, chocolates e filmes cheios de preguiça de sair de casa. As ruas, na imaginação de uma grande parte dos paulistanos, deveriam estar completamente desertas. Mas, sabemos, não foi assim que aconteceu, afinal, se tem algo que o tal do paulistano gosta, e muito, é de rua. E ontem, a rua estava cheia. Se de pessoas vazias ou não, não posso dizer, mas que tinham problemas eu sei. E de vários tipos, como sempre. Dos mais comuns, "a falta de dinheiro no bagulho, tá ligado?" com certeza reina. Posso ouvir as pessoas todos os dias, e tenho quase certeza de que nunca deixarei de anotar esse problema. Nunca. Mas, o financeiro a parte, vamos tratar dos corações paulistas: "fui chifrada e tô solteira. Perdi dois anos da minha vida com aquele desgraçado." Ao lado dela, o amigo reclama por estar sem celular, e também pelo fim de um relacionamento. E aí, uma terceira diz que o fim de um relacionamento não é tão ruim assim, o que gera polêmica: "mas é claro que pra você não é ruim, foi você quem terminou o seu." Antes de ir embora, a primeira deles ainda deixou comigo uma reflexão revolucionária, praticamente se propôs a mudar o significado de uma palavra: "descobri que puta é quem dá de graça." Ainda não entendi ao certo a complexidade e a filosofia contidas nessa frase simples e curta, se alguém souber expressar com maior clareza as mudanças no sentido pejorativo do termo 'puta', favor entrar em contato. Depois dessa verdadeira pérola, o amigo a puxou pelo braço, agradeceram e saíram discutindo a respeito. É engraçado, aliás, quando agradecem. Teve alguém que simplesmente chegou perto, me estendeu a mão direita para uma saudação e disse: "parabéns por isso!" Obrigada, obrigada.  O Felipe me agradeceu, também. O maior problema dele, atualmente, é estar desempregado. Boa sorte, Felipe. 
Pela segunda vez, me perguntaram sobre os meus problemas. Não me lembro da resposta, anotei o problema de quem perguntou: o Guilherme. "Vivemos em uma colônia muito fechada, onde todo mundo sempre sabe o que todo mundo faz." Conversei com ele e seus amigos por um bom tempo, por sinal. Um deles se parecia muito com algum ator brasileiro que não sei o nome, e pareceu ter de fato uma porção de problemas: "sou instável e mudo de humor muito rápido. Moro longe da escola, sou muito mulherengo, muito natureba e tenho uma perna maior que a outra. Também não sei controlar meu dinheiro." No mesmo grupo um casal afirmou ter um problema em conjunto, sendo ela o problema dele e vice-versa. Ele acrescentou ao fato dela ser seu problema, o fato dela "não deixar seu cabelo ficar legal". Não devo opinar a respeito, não devo opinar a respeito. E ainda nesse belo "grupo de doidos", como disse alguém dele, uma das garotas é "muito baixinha", e a outra não quer namorar com o cara com quem sai atualmente. 
Um pouco depois eu encontrei alguém que tem vontade de se suicidar, mas não sabe por quê. E me ofereceu um cigarro. Um suicida muito simpático. E talvez sob efeito de algumas substâncias ilícitas, mas só talvez. Encontrei também alguém que não faz sexo há um ano, esqueceu como é ter amigos e por mais que odeie gente chata, é tudo o que encontra por aí. Uma vida complicada, e talvez igualmente sob efeito de algumas substâncias ilícitas, mas, novamente, só talvez. 
O último depoimento, feito entre risos e pausas dramáticas, começa de um modo simples, porém perigoso:
"Eu era amiga de uma menina. Um dia, o ex-namorado dela pediu para ficar comigo e eu disse que não." Em consideração a ela, é claro. "Mesmo assim, ela achou que eu tinha ficado com ele e parou de falar comigo, do nada." Depois, fiquei com ele só por raiva." Sim, somente por raiva mesmo e nada mais. "Aí, ela veio e me mandou uma mensagem me xingando por isso". Olha que sem noção?! 

4 comentários:

  1. tenho um problema, comecei a minha jornada pokémon e estou em duvida qual pokémon eu pego charmander, squirtle ou bubassauro.
    Tenho outro problema que são com garotas, nenhuma delas me querem, me chamam de nerd, falam que é para eu sair do pé dela e jogar Tibia, mas eu vendi a minha conta semana passada por R$1000, não da pra eu jogar, só se eu fazer uma nova conta, e começar do zero que nem um noob.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. fácil, use seus R$1000,00 para comprar umas garotas.

      Excluir
  2. Molis, parabéns por essa atitude linda. Tenho certeza que esse pequeno desabafo foi substancial na vida de cada uma das pessoas. Continue sempre maravilhosa assim! Beijos, Vivs.

    ResponderExcluir
  3. cara meus parabéns por esse blog, o texto ali em cima é ótimo e esse conte aqui seus problemas é genial, dou muita risada. Gostaria de te encontrar na rua, pena que não moro em SP, mas com certeza passarei ai para contar meus problemas kkk
    beijos e parabéns ^^

    ResponderExcluir